domingo, 30 de dezembro de 2007

Evergrey - I'm sorry

Man with jet pack (rocket belt) soars over the beach

vid

Adicionar ao Meu Perfil | Mais Vídeos

Universos paralelos da ficção científica cada vez mais atraem físicos



via
AFP

Popularizada por obras de ficção científica como 'Jornada nas Estrelas' ou então pelo recente filme 'A Bússola de Ouro', primeira parte da trilogia escrita por Philip Pullman, o conceito dos universos paralelos despertada um grande interesses por parte dos mais sérios cientistas do planeta.

'A idéia de vários universos simultâneos é mais do que uma invenção fantástica. Parece natural em várias teorias e merecer ser levada em conta', afirma o astrofísico Aurélien Barrau no número de dezembro da revista Cern Courier, publicada pela Organização Européia para a Pesquisa Nuclear.

"Estes universos múltiplos não são apenas teoria, e sim as conseqüências de teorias elaboradas para responder a questões de física das partículas ou da gravitação. Muitos problemas centrados na física teórica encontram assim uma explicação natural", resume o cientista do Laboratório de Física Subatômica e Cosmologia. [Leia+]


"Nosso universo seria apenas uma ilhota insignificante dentro de um imenso 'multiverso' infinitamente vasto e diversificado? Se for verdade, isso pode ser para o homem, que durante muito tempo acreditou que era o centro do mundo ou o centro da criação, a quarta ferida narcisista", prosseguiu, explicando que as três primeiras feridas teriam sido causadas por Copérnico, Darwin e Freud."

Contato, do diretor Robert Zemeckis, é um filme de ficção científica de 1997, adaptado do romance homônimo do cientista norte-americano Carl Sagan



"A nossa espécie descobriu um meio de se comunicar através da escuridão, de transcender as imensas distâncias. Nenhum outro meio de comunicação é mais rápido, nem vai mais longe. É o rádio" Carl Sagan

Atlas de Neuroanatomia Online da UnB



via
NeuroNews

O Professor Paulo Maurício de Oliva Fonte-Bôa, da Universidade de Brasília, juntamente com alunos do curso médico, nos brinda com um rico material sobre neuroanatomia humana; essas imagens constituem um verdadeiro museu de neuroanatomia na Internet, que pode ser acessado através deste link.

"Neuroanatomia é o ramo da anatomia que estuda a organização anatômica do sistema nervoso. Nos animais vertebrados, estuda as inumeráveis ligações entre os nervos do cérebro até a região ("periférica") do corpo a qual tem conexão e a estrutura interna do cérebro, em particular."

Nova Jersey proíbe criminosos sexuais de usarem a internet

via Folha Online

O Estado de Nova Jersey, nos Estados Unidos, sancionou uma lei na quinta-feira (27) que proíbe pessoas condenadas por crimes sexuais de utilizarem a internet.

A lei se aplica a qualquer pessoa que tenha utilizado a internet para cometer um crime sexual e também condenados por esses delitos e outros criminosos sexuais que estejam sob supervisão do Estado - a exceção é para o uso da rede com fins de trabalho ou a busca por um emprego. [Leia+]

"Conforme a nova lei, condenados por esse tipo de delito terão de permitir que o governo monitore o seu uso de computadores, que serão vistoriados de maneira periódica sem aviso prévio."

Pirâmide descoberta no México indica que capital é mais antiga do que se pensava



via
O Globo Online

Arqueólogos descobriram, no coração da capital do México, ruínas de uma pirâmide Asteca de 800 anos que pode mostrar que a cidade é pelo menos um século mais antiga do que se supunha.

Uma equipe mexicana encontrou os vestígios das construções, que tinham cerca de 14 metros, na região de Tlatelolco, que foi centro político e religioso da elite asteca. [Leia+]

GorillaSpot um editor de vídeos "bastante" versátil

via O Velho



Acesse GorillaSpot

Musicovery Beta 2.3: uma rádio interativa



via
Bardo Multi Show


"O título "Musicovery" é uma aglutinação das palavras de língua inglesa "music" (música) e "discovery" (descoberta), e é justamente esta a proposta do site em questão: ajudar você a ampliar seus horizontes musicais e a encontrar e conhecer todo tipo de música."

Primeiro você escolhe um estilo, depois a intensidade e o ritmo da música, será então gerada uma teia com várias músicas "seguindo" seus requisitos (e o melhor, todas relacionadas). Ainda é possível "favoritar" músicas e criar playlists. Tudo completamente de graça, bastando se cadastrar para ter acesso, inclusive à versão em português.

" São, ao todo, 18 estilos musicais oferecidos, relacionados a partir de um espectro de cores variadas. "

sábado, 29 de dezembro de 2007

"Realidade Virtual a Baixo Custo"?

via Planet Geek



[Veja+] página oficial da Force-Dynamics.

Converter imagens para texto (ASCII)



via
Garotos de Web

"O ASCGEN é um pequeno utilitário que converte qualquer fotografia ou imagens em textos de alta qualidade com várias tonalidades de preto." [Leia+]

"O diferencial desse programa é que ele possui vários ajustes para deixar a imagem como o usuário quiser."

Nvidia planeja lançar a Geforce 9600 em Fevereiro



via Antenando.com.br

"A Nvidia planeja lançar a primeira placa da série 9 de suas Geforces agora em Fevereiro de 2008, e tomando sentido contrário à sua estratégia anterior, seu primeiro lançamento não será de uma placa high-end, mas sim de uma mid-end… Mais precisamente a Geforce 9600 GT (D9P)."

"Esta placa contará com a tecnologia de processamento 65nm e terá um Core Clock de 500Mhz (inferior à 8800 GTS por exemplo), mas com 2000 MHz para a memória."

Teclado sensível ao toque do Art Lebedev Studio



via
Digital Drops

"O quase mítico teclado Optimus Maximus ainda nem foi lançado, e a Art Lebedev Studio já nos deixa com água na boca novamente com o conceito Optimus Tactus, um teclado sensível ao toque onde não existem teclas, e assim pode se transformar em uma tela para você assistir a filmes ou em uma gigantesca cartela de cores, por exemplo." [Leia+]

(...) "O Optimus Tactus é apenas um conceito, e deve demorar alguns anos para ser produzido e comercializado." (...)

Usuários do iPhone poderão fazer pedidos pelo celular

via IDG Now!

A tentativa de patentes, entregue ao Departamento de Marcas e Patentes dos Estados Unidos no dia 20 de dezembro, descreve uma tecnologia que imita uma 'fila digital', onde o usuário pode pedir bebidas em um café ou comidas em um restaurante remotamente. [Leia+]

(...) "Segundo o texto da patente, a tecnologia exige que o usuário saiba o produto que pedirá, seu preço e o método de pagamento - caso o estabelecimento aceite apenas dinheiro, ele é obrigado a se dirigir ao caixa." (...)

Torradeira com Grill toda em aço inoxidável



via
Digital Drops

O Designer Stefano Giovannoni desenvolveu a Alessi Toaster, uma torradeira que possui um grill, onde podemos esquentar os pães, sanduíches e croissants sem precisar fatiá-los e colocá-los lá dentro. [Leia+]

(...) "Ela é feita toda em aço inoxidável com base de policarbonato para fácil limpeza. E possui diferentes níveis de temperatura que podem ser usados para cada tipo de pão ou preferências pessoais." (...)

Livraria argentina funciona em antigo teatro de 1919



via
Livros e afins

A livraria funciona em um antigo teatro, inaugurado em 1919. São quatro fileiras de camarotes, com capacidade para 550 poltronas e 500 poltronas na geral. [Leia+]

(...) "A construção foi arrendada por dez anos, em 2000, pelo grupo editorial Ilhsa. A adaptação do espaço se manteve fiel à estrutura, com as prateleiras substituindo as linhas de assentos." (...)

Veja como se combate uma ressaca e como se faz para evitá-la



via
SAÚDE

Os sintomas são inconfundíveis: a cabeça pesa como se estivesse apertada por um daqueles círculos de ferro usados em torturas medievais.

Dói especialmente na nuca, nas têmporas e na testa. A luz do dia fere nossos olhos e qualquer barulho retumba dentro do cérebro. Na boca, um gosto amargo. Não queremos fazer nada, apenas fechar os olhos, quietos, deixando o tempo passar.

É a ressaca, um mal estar generalizado provocado pelo excesso de bebida alcoólica. Ela não ocorre sempre nem com todo mundo. Para algumas pessoas é infalível, basta beber alguns drinques e esperar pelo dia seguinte. [10 perguntas sobre ressaca]

(...) "É um tipo de crise de abstinência. Como qualquer outra bebida ou alimento, o álcool é metabolizado e distribuído pela corrente sangüínea para todas as células do corpo. A sensação de embriaguez e relaxamento ocorre quando ele chega ao cérebro. É o momento da intoxicação.

O corpo faz um grande esforço para dar conta das doses excessivas. Quem mais trabalha é o fígado, que precisa produzir enzimas para absorvê-lo, transformá-lo em gordura e secretá-lo pela bile. Quando o trabalho acaba, o fígado quer mais e entra numa espécie de depressão, desorganizando todo o metabolismo."(...)

Chance de asteróide colidir com Marte aumenta



via Folha Online

A possibilidade de um asteróide do tamanho de um campo de futebol atingir Marte no próximo mês aumentou para 4%, segundo análises de cientistas. [Leia+]

(...) "Eu acho que seria interessante", disse Don Yeomans, que lidera o Programa de Objetos de Próximos à Terra do Laboratório de Propulsão da Nasa." (...)

Weave: Mais um recurso para o Firefox



via
SUPERINTERESSANTE

O Firefox, que já é disparado o melhor navegador que existe, acaba de ficar ainda melhor. Em sua nova versão, 3.0, ele traz uma novidade muito bacana, o recurso Weave, mão na roda pra quem usa mais de um computador (o PC de casa e o do trabalho, por exemplo). Ou seja, praticamente todo mundo.

É o seguinte: o Weave grava a sua lista de sites favoritos (bookmarks) e também seu histórico de navegação. Pega tudo e salva, automaticamente, nos servidores da Fundação Mozilla (dona do Firefox). Aí, quando você for usar outro computador, basta um clique e pronto: o navegador da outra máquina é atualizado, no ato, com o seu histórico e lista de bookmarks. [Leia+]

"... No futuro, se vc quiser, ele poderá ser usado pra fazer um backup completo, online e protegido por senha, do seu computador."

AOL anuncia o fim do Netscape e incentiva o uso do navegador Mozilla Firefox



via O Globo Online

A AOL anunciou o fim do navegador Netscape a partir de 1º de fevereiro. Em seu lugar a companhia que pertence ao conglomerado Time Warner direcionará seus usuários para acessarem o Firefox. [Leia+]

"O Netscape ajudou a popularizar a internet em meados da década de 90, quando chegou a abocanhar 80% do mercado de navegação na internet. Mas sua participação caiu dramaticamente depois de uma ação agressiva da Microsoft de Bill Gates para dominar o mercado de navegadores de internet."

A rede social Facebook foi um dos destaques da internet em 2007 (O Globo Online)



via
O Globo Online

Em 2007, ano em que as redes sociais online deixaram de ser territórios exclusivos de adolescentes e estudantes universitários, o Facebook foi um dos destaques, sendo a mais visitada depois do MySpace, superando a marca de 50 milhões de usuários. [Leia+]

(...) "O Facebook conseguiu titulares em todo o mundo depois que a Microsoft pagou US$ 240 milhões (163 milhões de euros) por uma participação de 1,6% do seu capital. " (...)

Cientistas pesquisam robô para cirurgia sem corte de pele

via Terra - Saúde

Uma equipe de cientistas em Londres está desenvolvendo um robô flexível que poderá permitir a realização de procedimentos complexos sem ter que cortar a pele do paciente. [Leia+]

"Ele será aparelhado com sensores, motores e equipamento para registrar imagens e poderá ser usado em operações complexas no coração e nos intestinos."

De perto ninguém é normal

O Globo Online

por Marcia Triunfol

"Todo ano a revista Science, da American Association for the Advancement of Science, elege o que eles acreditam ser a grande sacada do ano. E entre os dez da lista, este ano o achado ficou para as nossas diferenças. Com tanto genoma humano sendo seqüenciado por aí, não demorou muito para se descobrir o quanto somos diferentes do ponto de vista genético.

E a diferença observada não se trata apenas de um sujeito ter um azinho enquanto o outro tem um azão. É muito mais que isso. O que está ficando cada vez mais claro é que além de possuirmos formas diferentes para genes comuns à nossa espécie, temos também doses diferentes destes genes, que podem também estar até arrumados de modos diferentes.

Tem gente com mais de uma cópia de um gene X, outros que tem o gene Y virado de cabeça pra baixo, outros com o gene Z intercalado pelo gene W... E diferente do que se possa pensar, estas diferenças não caracterizam nenhuma doença. São diferenças que ocorrem mais do que freqüentemente, e em indivíduos ditos normais.

Mas, então, qual seria o padrão de um genoma humano normal? O que poderíamos usar como parâmetro? Pois é... não tem nem padrão e nem parâmetro que explique ou que ilustre o quanto somos diferentes. Talvez seja exatamente esse o maior legado de nossa herança genética.

O que nos torna possível enquanto espécie é exatamente a diferença que existe entre nós e a unicidade de cada um.

Como as formiguinhas de um grande formigueiro ou as abelhas de uma colméia, só fazemos qualquer sentido se juntos. Mas, diferente delas, ainda temos muito o que aprender."

Link para o Breakthrough of the Year, na revista Science.

Equipe de teste russo de viagem simulada a Marte será formada até fevereiro



via
Terra

A equipe que participará do teste preparatório de 105 dias do projeto Marte-500, que simula uma viagem tripulada ao Planeta Vermelho, será formada definitivamente até meados de fevereiro, informou hoje o Instituto de Problemas Biomédicos (IBMP, em inglês) da Academia de Ciências da Rússia. [Leia+]

(...) "Segundo o diretor do IBMP, Anatoly Grigoriev, três cosmonautas russos querem fazer parte da equipe de voluntários, mas eles só serão conhecidos no ano que vem." (...)

Benazir foi primeira mulher a governar um país muçulmano



via G1

A ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, 54 anos, que morreu nesta quinta-feira (27) em Rawalpindi, se tornou em 1988 a primeira mulher na história moderna a chefiar o governo de um país muçulmano. Ela governou o país por duas vezes, de 1988 a 1990 e de 1993 a 1996. [Veja+]

(...) "Benazir, que estudou nas universidades de Oxford e de Harvard, na Grã-Bretanha, mantinha boas relações com o Ocidente." (...)

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Finalidade das licenças Creative Commons



Wikipédia

Creative Commons (tradução literal: criação comum, também conhecido pela sigla CC) pode denominar tanto um conjunto de licenças padronizadas para gestão aberta, livre e compartilhada de conteúdos e informação (copyleft), quanto a homônima organização sem fins lucrativos norte-americana que os redigiu e mantém a atualização e discussão a respeito delas.

As licenças Creative Commons foram idealizadas para permitir a padronização de declarações de vontade no tocante ao licenciamento e distribuição de conteúdos culturais em geral (textos, músicas, imagens, filmes e outros), de modo a facilitar seu compartilhamento e recombinação, sob a égide de uma filosofia copyleft.

As licenças criadas pela organização permitem que detentores de copyright (isto é, autores de conteúdos ou detentores de direitos sobre estes) possam abdicar em favor do público de alguns dos seus direitos inerentes às suas criações, ainda que retenham outros desses direitos. Isso pode ser operacionalizado por meio de um sortimento de módulos standard de licenças, que resultam em licenças prontas para serem agregadas aos conteúdos que se deseje licenciar.

Os módulos oferecidos podem resultar em licenças que vão desde uma abdicação quase total, pelo licenciante, dos seus direitos patrimoniais, até opções mais restritivas, que vedam a possibilidade de criação de obras derivadas ou o uso comercial dos materiais licenciados.

A filosofia imanente às licenças Creative Commons encontra antecedentes na Open Publication License (OPL), na GNU General Public License (GPL) e na GNU Free Documentation License (GFDL). A GFDL foi criada precipuamente para o licenciamento de documentação de projetos de software, mas passou também a ser utilizada em outros projectos (como a Wikipedia).

As licenças Creative Commons, no entanto, diferenciam-se de tais iniciativas por não incluírem necessariamente dentre os direitos disponibilizados ao público (conforme o tipo de licença que se esteja a tratar) a possibilidade de manipulação do conteúdo por meio de código aberto. Tais licenças, nestas hipóteses, acabam permitindo unicamente a livre manipulação, distribuição, compartilhamento e replicação destes conteúdos.

O projeto Creative Commons foi lançado oficialmente em 2001. Lawrence Lessig, professor da Universidade de Stanford, fundador e presidente da Creative Commons, começou a organização como um método adicional de conseguir os objectivos do seu caso no Supremo tribunal, Eldred v. Ashcroft.

A primeira proposta de licenças Creative Commons[1] foi publicada em 16 de Dezembro de 2002.

O projecto foi premiado com o Golden Nica Award[2] no Prix Ars Electronica[3] na categoria "Net Vision" em 2004.

A entidade disponibiliza ainda metadados RDF/XML, que descrevem as licenças de forma a tornar mais fácil localizar e processar em rede obras licenciadas pelo padrão da entidade.

As principais licenças Creative Commons foram redigidas levando em consideração o modelo legal norte americano, o que leva a concluir que as licenças podem, eventualmente, não se integrarem perfeitamente com a legislação de outros países.

Ainda que se considere que as licenças são meros contratos standard entre o autor e o público, usar tais modelos sem levar em consideração as leis locais poderia tornar as licenças inutilizáveis. Por essa razão, a entidade desenvolveu o projecto iCommons (International Commons), visando uniformizar a redação das licenças por ela disponibilizadas, de acordo com as especificidades normativas de cada país.

No Brasil, as licenças já se encontram traduzidas e totalmente adaptadas à legislação brasileira. O projeto Creative Commons é representado no Brasil pelo Centro de Tecnologia e Sociedade da Faculdade de Direito da Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro.

Em Portugal, as licenças estão também adaptadas à legislação portuguesa, sendo o projecto de adaptação capitaneado pela Universidade Católica Portuguesa, UMIC e INTELI.

Atualmente, as licenças Creative Commons já foram adaptadas às legislações nacionais de mais de 30 países, tais como França, Alemanha, Itália, Espanha e outros.

Desde o lançamento do projeto, o crescimento do catálogo de obras audiovisuais e textuais licenciados por um ou outro tipo de licença Creative Commons, foi exponencial. Alguns dos mais conhecidos projectos licenciados com as licenças CC incluem, exemplificativamente:
  • Todo o conteúdo da Agência Brasil, da Radiobrás (notícias, fotos e vídeos produzidos pela operadora de TV e Rádio do Governo Federal do Brasil)
  • O livro de Lawrence Lessig Free Culture (2004), primeiro livro licenciado sob CC.
  • A ficção de Cory Doctorow.
  • O portal jurídico Groklaw.
  • MIT OpenCourseWare - Sebentas (apostilas) acadêmicas do MIT.
  • Três dos livros de Eric S. Raymond, The Cathedral and the Bazaar (o primeiro livro completo e comercialmente lançado por O'Reilly & Associates[4] sob uma licença CC), The New Hacker's Dictionary, e The Art of Unix Programming.
  • Public Library of Science
  • Um vasto sortimento de fotografias publicadas no portal de compartilhamento Flickr.

Ver também:

Andy Mckee - Guitar - Drifting

iPhone coloca Apple entre mais valiosas em TI

INFO Online

O sucesso do iPhone em 2007 fez os papéis da Apple subirem fortemente de valor.

Ao longo de 2007, a ação da Apple negociada na Nasdaq, a bolsa eletrônica americana, saiu de US$ 100 e chegou a ser vendida por US$ 200 no final de dezembro. O valor de mercado da companhia, que era de US$ 72,9 bilhões no início do ano é avaliado em US$ 138 bilhões.

A forte ascensão fez a Apple tornar-se mais valiosa que a HP e Dell, gigantes do setor de tecnologia no mundo.

OMS confirma caso de gripe aviária no Paquistão

Terra

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou na quinta-feira a ocorrência de um caso de transmissão interpessoal do vírus H5N1 (gripe aviária) numa família no Paquistão, mas disse que aparentemente há pouco risco de epidemia.

Em nota, a agência da ONU disse que exames feitos em laboratórios especiais do Cairo e de Londres diagnosticaram uma 'infecção humana' por meio da presença dos vírus 'recolhidos de um caso em uma família afetada'. Mas a OMS disse que uma equipe enviada ao Paquistão para examinar a contaminação de até nove pessoas, entre o fim de outubro e 6 de dezembro, não encontrou provas de transmissão comunitária ou continuada entre seres humanos.

O surto seguiu-se ao abate de aves contaminadas na província de Peshawar. Um veterinário envolvido e três de seus irmãos subseqüentemente tiveram pneumonia ou sintomas dessa doença. Os irmãos trataram-se mutuamente e tiveram contato íntimo em casa e no hospital, segundo uma fonte da OMS em Genebra.

Um deles, que não participou do abate, morreu em 23 de novembro - a transmissão interpessoal confirmada pela OMS. Os outros irmãos se recuperaram. Um porta-voz da OMS disse que não há risco de novas contaminações entre pessoas, mas que é preciso manter o grau de vigilância existente.

Contaminações em circunstâncias similares já haviam sido registradas na Indonésia e na Tailândia. Em geral, a contaminação se dá no trato com aves. Desde 2003, foram registrados 343 casos, que resultaram em 211 mortes no mundo, especialmente na Ásia.

Ação da Apple supera marca de US$ 200; alta é de 134% no ano



Último Segundo

A ação da Apple superou hoje a marca de US$ 200 pela primeira vez na história. Há pouco, o papel registrava alta de 0,63% e era negociado a US$ 200,06.

No ano, as ações da empresa acumulam valorização de 134%, diante dos bons resultados de vendas dos computadores Macintosh, da nova família de iPods e do lançamento iPhone.

Entre as notícias que explicam a alta de hoje dos papéis da Apple está a informação divulgada pela Amazon.com de que o computador MacBook, da fabricante, está entre os itens mais vendidos neste Natal. (Valor Online)

Via Technologies inaugura site brasileiro


O Globo Online

A Via Technologies, fabricante de chipsets, anunciou nesta quinta-feira a abertura de seu site brasileiro.

A empresa estima que ampliará em 50% sua participação no varejo nacional de microcomputadores em 2008. No ano que vem, ela planeja iniciar a distribuição de partes e peças para o setor através de uma parceria firmada com a fabricante de componentes Phitronics, de Manaus.

Patins de gelo já eram usados há 4 mil anos, diz estudo



BBCBrasil

Uma equipe de pesquisadores na Grã-Bretanha descobriu que os primeiros patins de gelo usados no mundo têm 4 mil anos e deslizaram por lagos congelados da Finlândia.

Segundo o pesquisador Federico Formenti, da Universidade de Oxford, um dos autores da pesquisa, os primeiros patinadores podem ter usado patins feitos com ossos de cavalos.

"A partir de nossos estudos, parece que (a patinação) aconteceu particularmente na região sul da Finlândia, onde existem muitos lagos pequenos", disse Formenti à BBC.

A equipe do pesquisador testou réplicas dos patins feitos com ossos, fornecidas pelo Museu Britânico, durante vários anos em um local específico dos Alpes.

A pesquisa foi publicada na revista especializada Biological Journal, da organização Linnean Society de Londres.

Formenti afirmou que, ao invés de andar em volta dos lagos, os antigos finlandeses achavam mais fácil viajar entre as cidades patinando ou andando pelo gelo.

Os primeiros patinadores, segundo o pesquisador, se equilibravam em cima de ossos de cavalo e conseguiam impulso com a ajuda de uma vara.

O próprio Formenti experimentou a patinação no gelo com os patins primitivos e afirmou à BBC que "foi muito divertido" e que os pedaços de ossos se saíram bem em comparação aos patins atuais.

Os ossos têm pouco atrito, comparados às lâminas de metal usadas nos patins modernos. Isso ocorre devido à gordura residual nos ossos, segundo Formenti.

Mas os patins primitivos da Finlândia não eram rápidos. A equipe de pesquisadores conseguiu alcançar uma velocidade média de 8 quilômetros por hora. Os patins mais modernos conseguem chegar até os 60 quilômetros por hora.

ONG apóia uso de GPS em pacientes de Alzheimer



BBCBrasil

Uma proposta para equipar pacientes que sofrem de demência com aparelhos de rastreamento eletrônico recebeu apoio, nesta quinta-feira, da ONG britânica Alzheimer's Society, que trabalha com tratamento e pesquisa para pacientes da doença.

A organização acredita que o rastreamento, se autorizado pelo paciente, pode dar mais autonomia aos doentes e garantir que seus familiares saibam onde eles estão quando saem de casa.

Segundo a Alzheimer's Society, cerca de 60% dos pacientes podem andar a esmo pela cidade e 40% acabaram se perdendo em algum momento.

"Nós sabemos que há nova tecnologia disponível capaz de oferecer benefícios às pessoas com demência e às pessoas que cuidam delas", disse o diretor-executivo da ONG, Neil Hunt.

A proposta vem sendo estudada pelo governo britânico, que acredita que o rastreamento eletrônico pode permitir que os pacientes levem "uma vida mais plena".

Para Hunt, apesar dos benefícios da nova tecnologia, "há um equilíbrio delicado a ser alcançado entre dar autonomia às pessoas e restringir seus movimentos".

Segundo ele, o rastreamento também não deve ser usado como alternativa para uma assistência de boa qualidade ao paciente.

A Alzheimer's Society afirma que qualquer decisão sobre o uso de equipamento de monitoramento eletrônico deve ser tomada em conjunto com o paciente nos primeiros estágios de demência.

O equipamento para rastreamento usa o GPS (Global Positioning System, em inglês), um sistema de localização por satélite.

A tecnologia já é usada para permitir que os pais monitorem os movimentos de seus filhos e há um mercado cada vez maior para artefatos eletrônicos deste tipo.

A Grã-Bretanha tem cerca de 700 mil pessoas com algum tipo de demência, e a previsão é que este número possa chegar a 1,7 milhão em 2051.

Biochip detecta célula cancerosa no meio de um bilhão de células sadias



via IT- Inivação Tecnológica

Os cientistas sempre souberam que o câncer deixa seus rastros na corrente sangüínea. O problema é que as chamadas células CTC ('Circulating Tumor Cells') são extremamente raras os tumores sólidos produzem pouquíssimas células viáveis, que chegam à corrente sangüínea na proporção de uma para cada um bilhão de células normais do sangue.

Agora, cientistas da Hospital Geral de Massachusetts, nos Estados Unidos, construíram um biochip, um microlaboratório construído com as mesmas técnicas com que são fabricados os chips de computador, que consegue detectar as células CTC a partir de uma gota de sangue.

Os exames mais modernos existentes atualmente conseguem detectar as células CTC apenas em amostras muito grandes, de 1.000 a 10.000 vezes maior, o que torna inviável sua utilização prática.

Batizado de CTC-chip, o biochip consegue isolar, contar e analisar as células CTC. Embora sirvam como um indicador preciso da presença de câncer no organismo, a raridade e fragilidade dessas células não permitia, até hoje, que elas fossem utilizadas para auxiliar o diagnóstico e outras decisões médicas sobre o tratamento dos pacientes.

"Esse uso da nanofluídica para encontrar essas células raras é revolucionário, a primeira aplicação dessa tecnologia para um problema que é grande e clinicamente importante," diz o Dr. Daniel Haber, membro da equipe que desenvolveu o biochip.

O aspecto mais promissor da nova tecnologia é que ela permite o diagnóstico de forma totalmente não-invasiva, com o exame podendo ser feito no próprio consultório médico. Os primeiros testes foram feitos em escala laboratorial, e o microlaboratório ainda terá que ser aprimorado para que possa chegar aos consultórios médicos e laboratórios de análises clínicas.

O microlaboratório é um chip do tamanho de um cartão de crédito, construído com uma técnica chamada litografia, a mesma utilizada para a fabricação dos microprocessadores de computador. Sobre uma base de silício são construídas 80.000 saliências. Essas saliências são então recobertas com um anticorpo para uma proteína expressa na maioria dos tumores sólidos.

Os cientistas tiveram também que calcular a velocidade com que a gota de sangue a ser examinada deve ser bombeada para o interior do chip. Somente a velocidade e a pressão corretas permitem que a célula CTC grude em um dos micro- postes.

Ao contrário das técnicas atuais, o CTC chip não exige nenhum pré-tratamento do sangue a ser analisado. Esta etapa de pré-tratamento é apontada como uma das maiores responsáveis pela destruição das próprias células CTC, o que cria a necessidade de se analisar uma amostra muito grande.

O biochip foi testado analisando o sangue de 68 pacientes com cinco tipos diferentes de tumores: pulmão, próstata, mama, pancreático e colorretal. Foram analisadas 116 amostras no total e o microlaboratório só não localizou as células CTC em uma delas, o que dá uma precisão de 99%. Já os exames de sangues de voluntários não portadores de câncer foram precisos em 100% dos casos.

Biochip pode ajudar a acabar com experiências em animais

via IT- Inovação Tecnológica

Um novo biochip capaz de avaliar o impacto de substâncias químicas sobre mais de 1.000 tipos de células do corpo humano poderá reduzir dramaticamente o uso de cobaias vivas no processo de desenvolvimento de novos medicamentos e eliminar totalmente a realização de experiências com animais na indústria química e de cosméticos.

Os testes de toxicidade atualmente exigem o uso de animais para descobrir se um composto químico ou um novo medicamento é tóxico ou não para o ser humano, para outros seres vivos ou para o meio ambiente.

Essa prática, contudo, tem sofrido pressões de dois lados: em primeiro lugar, a quantidade de compostos químicos que precisam ser testados a cada ano tem aumentado exponencialmente, principalmente em razão de novas legislações que exigem que esses testes sejam feitos para uma gama muito maior de produtos e materiais. E, em segundo lugar, tem crescido muito a pressão da sociedade pelo fim dos testes em animais.

O novo biochip pode ser a solução, com a vantagem de permitir que os testes sejam feitos em alta velocidade, em escala industrial. Ele mostra o potencial de toxicidade do composto químico para vários órgãos do corpo humano e se esse composto químico se torna tóxico depois de ser metabolizado pelo organismo, tudo em um único teste.

"Nós observamos os problemas com que as empresas estavam se deparando e vimos que precisávamos desenvolver algo que tivesse baixo custo, alto rendimento, fosse facilmente automatizável e não envolvesse animais," explica o professor Jonathan S. Dordick.

Dordick foi um dos criadores do Metachip, um biochip desenvolvido em 2005 e capaz de imitar as funções desempenhadas pelo fígado humano (veja Chip biotecnológico imita fígado humano). Agora, ele e sua equipe desenvolveram o novo biochip, que eles batizaram de Datachip.

O Datachip é um microlaboratório formado por 1.080 culturas tridimensionais de células humanas. A estrutura 3D replica de forma mais realista a forma como as células se organizam no interior do corpo humano, permitindo a realização de testes mais confiáveis.

Os pesquisadores acreditam que a indústria de cosméticos deverá ser a primeira a receber os benefícios do novo biochip, porque essa indústria tem sido alvo de maiores pressões para o fim do uso de testes em animais.

"Nós ainda continuamos distantes da medicina personalizada, mas o Metachip oferece essa possibilidade no futuro," disse Dordick. "Quando associado ao novo Datachip, os dois biochips poderão um dia ser utilizados para determinar os níveis e combinações de medicamentos que são seguros e eficazes para cada paciente individualmente," disse ele.

Evento Tunguska foi causado por asteróide pequeno que explodiu na atmosfera



via IT - Inovação Tecnológica

Uma simulação feita em um supercomputador do Laboratório Sandia, nos Estados Unidos, mostrou que um pequeno asteróide que entre na atmosfera terrestre pode fazer um estrago muito maior do que se imaginava até agora.

No dia 30 de Junho de 1908, um evento ainda não completamente explicado destruiu 80 milhões de árvores em uma área de 2.150 quilômetros quadrados na região de Tunguska, na Rússia. Calcula-se que a explosão foi equivalente a 1.000 bombas atômicas iguais à de Hiroshima.

O chamado Evento Tunguska até hoje é motivo de disputas apaixonadas entre aqueles que acreditam que a explosão tenha sido causada por uma experiência do cientista Nikola Tesla, por um buraco negro, antimatéria e até pela queda de um disco voador.

Embora não haja nada do tipo "explicação oficial", a tese mais amplamente aceita pelos cientistas avalia que a devastação do Evento Tunguska foi feita pelo deslocamento de ar causado pela explosão de um cometa ou um meteorito a uma altitude entre 5 e 10 quilômetros.

Agora o pesquisador Mark Boslough, um dos maiores pesquisadores do assunto, descobriu que um asteróide não precisa ser grande como se imaginava para causar um efeito semelhante ou até maior.

"Nosso entendimento estava super simplificado," diz ele. "Nós não precisamos mais fazer essas considerações simplificadoras porque os supercomputadores atuais nos permitem fazer as coisas com alta resolução em 3-D. Tudo se torna mais claro quando você olha as coisas com ferramentas mais refinadas."

Como, estatisticamente, os asteróides pequenos atingem a Terra com muito mais freqüência do que os maiores, o cientista alerta que observar esss pequenos corpos celestes pode ser tão importante quando monitorar os maiores. "Nós devemos fazer mais esforços para detectar os pequenos do que vimos fazendo até agora," diz ele.

A nova simulação mostra que o centro de massa de um asteróide explodindo acima do solo é transportado para baixo a velocidades superiores à velocidade do som, na forma de um jato de gás de alta temperatura que se expande à medida em que dirige para o solo.

Essa bola de fogo gera grandes ondas de impacto e pulsos de radiação termal na superfície muito maiores do que se imaginava até agora. As simulações existentes levavam em conta apenas o impacto da explosão em cada altura estimada.

A nova simulação mostra que a enorme devastação do Evento Tunguska na verdade foi causada por uma explosão menor do que se imaginava até agora. Ou seja, asteróides pequenos podem fazer grandes estragos.

A simulação mostra que a massa do asteróide é comprimida pelo aumento na resistência oferecida pela atmosfera terrestre à medida em que ele se dirige para o solo. Quando ele atinge a parte mais densa, já próximo à superfície, a atmosfera se transforma em um verdadeiro muro de resistência, que faz com que o asteróide exploda, criando um jato de gás quente que atinge a superfície, juntamente com um deslocamento de ar muitas vezes mais poderoso do que os mais violentos tufões.

O efeito é tão devastador que os cientistas descobriram que o Evento Tunguska foi produzido por uma explosão entre três e cinco megatons e não 20, como se acreditava até agora.

Não é possível precisar o tamanho do asteróide porque não há informações sobre sua velocidade e sobre as características do material de que era formado - um pequeno asteróide sólido pode ter um efeito explosivo muito maior do que um que seja formado por material poroso, considerando que os dois tenham a mesma velocidade ao atingir a Terra.

Sobre o mesmo assunto, veja também a reportagem que publicamos há poucos dias: Brasil está entre países que mais sofreriam com impacto de asteróide).

Aquecimento de processadores resolvido com material com expansão termal zero



via IT-Inovação Tecnológica

Os tradicionais coolers são necessários para evitar que a temperatura dos chips atinja um ponto no qual o material de que são feitos comece a se expandir. Uma expansão mínima seria suficiente para interromper os delicados circuitos em seu interior, fazendo com que o processador pare de funcionar.

Agora, pesquisadores do Instituto de Pesquisas Argonne, nos Estados Unidos, descobriram um material semicondutor com expansão termal igual a zero. O chamado semicondutor ZTE ("Zero Thermal Expansion") não resolve o problema da excessiva dissipação de calor do chips, ele torna os chips mais resistentes ao calor.

O novo semicondutor com expansão termal zero poderá ser utilizado para a fabricação de microprocessadores que suportarão temperaturas muito mais elevadas do que os atuais, sem o risco de ficarem danificados.

Os materiais ZTE não são exatamente uma novidade e têm estado na agenda de engenheiros que lidam com óptica, componentes de motores automotivos e até utensílios de cozinha. Já os ZTE com aplicações na eletrônica são bem mais raros porque em sua grande maioria eles são materiais vítreos, que não funcionam bem em aplicações eletrônicas.

Já o novo material com expansão termal zero descoberto pelos pesquisadores é uma estrutura híbrida orgânica-inorgânica com propriedades eletrônicas e ópticas, o que o coloca na classe dos semicondutores multifuncionais. O trabalho também sugere técnicas para o projeto de materiais sintéticos com qualquer índice de expansão termal desejado, seja ele positivo ou negativo.

Os materiais híbridos normalmente têm problemas de estabilidade termal e química, mas o novo ZTE é excepcionalmente estável no ar ambiente, mesmo sob a ação de um laser ultravioleta.

"Ele é uma mistura de materiais orgânicos e inorgânicos," explicou Zahirul Islam, um dos participantes do projeto, em um comunicado do Instituto, "que forma um cristal ordenado tridimensionalmente e totalmente coerente. Normalmente, os materiais orgânicos e inorgânicos não funcionam bem juntos, mas aqui eles estão trabalhando juntos para apresentar essas incríveis propriedades."

O novo material híbrido tem potencial para ser utilizado em lasers semicondutores de alta eficiência, células solares ultrafinas e flexíveis, LEDs e sensores. Ele também pode ser "dopado" - dopagem é o processo de adição de quantidades mínimas de outros elementos para formar materiais condutores transparentes.

Regeneração natural

Agência FAPESP

Um medicamento à base de extrato de própolis indicado para ferimentos de pele por queimaduras foi desenvolvido na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP).

A formulação do produto e os testes em animais e humanos foram realizados durante os estudos de mestrado e doutorado da farmacêutica Andresa Berretta, com orientação da professora Juliana Maldonado Marchetti.

As pesquisadoras chegaram à formulação após a avaliação da constituição química da própolis obtida de várias regiões do país. Própolis é uma substância elaborada pelas abelhas a partir da resina de árvores para proteger colméias contra microrganismos.

“Diferentes substâncias ativas foram escolhidas e suas concentrações foram determinadas de modo a obter uma padronização do extrato. Trata-se de um líquido gelado termorreversível que, ao entrar em contato com a pele – que tem temperatura mais elevada – se transforma em gel, alivia a dor e forma uma camada protetora contra agentes externos”, disse Andresa à Agência FAPESP.

Durante o trabalho de mestrado, o gel foi caracterizado quanto à cinética de liberação no organismo e temperatura de geleificação. Foram também determinados os parâmetros fisíco-químicos e microbiológicos de qualidade do produto.

Na pesquisa de doutorado a formulação já pronta foi avaliada em testes pré-clínicos e clínicos. Ao verificar que o gel contendo extrato padronizado de própolis estimulava a cicatrização em modelos animais utilizando incisão cirúrgica, além de evitar a contaminação pelas bactérias Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa, que comumente infectam os pacientes queimados, as pesquisadoras partiram para testes em humanos.

Foram selecionados 31 pacientes da Unidade de Queimados do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Andresa se concentrou nas áreas da pele chamadas de “doadoras”, que, como ela explica, são mais homogêneas e uniformes.

“A região da pele que está queimada pode envolver queimaduras de primeiro, segundo e terceiros graus. Por isso, optamos por estudar as áreas doadoras de pacientes que precisaram fazer enxertia, ou seja, retirar tecidos de áreas saudáveis para colocar em áreas queimadas. Nesse caso, devido à profundidade e tamanho do tecido saudável que é extraído, conseguimos simular uma queimadura de segundo grau”, explicou.

Andresa e Juliana analisaram a regeneração da pele nessa área doadora: metade do tecido foi tratada com gel contendo extrato de própolis e a outra metade com pomada de nitrofurazona, medicamento utilizado como referência nos tratamentos feitos no Hospital das Clínicas. O extrato de própolis teve resultados estatisticamente semelhantes aos do produto sintético.

“Os dois produtos foram aplicados na pele lesionada com o auxílio de compressas de gazes, que naturalmente se soltam à medida que a pele se regenera. Em média, as gazes com os dois produtos se soltaram no mesmo período de tempo, em torno de nove a dez dias. Esse foi o principal indicador de que o gel de própolis é tão eficaz quanto a pomada convencional”, afirmou Andresa.

“Avaliamos também o potencial genotóxico do produto para verificar se sua formulação causaria danos ao DNA da pele dos pacientes, o que não foi verificado”, disse a pesquisadora, que depositou um pedido de patente no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e, em 2008, entrará com um registro do gel junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O produto será produzido em escala industrial pela empresa Apis Flora e, segundo Andresa, deverá ser comercializado a partir de 2009. Dois artigos científicos com os resultados do trabalho também estão sendo preparados para submissão em revistas especializadas.

Hackers atacam dois mil blogs de dissidentes chineses nos EUA

G1

Plataforma caiu na véspera de Natal e muitos dados podem ter sido perdidos.
Site que abrigava os blogs terá que usar outro servidor.

O site Boxun, com servidor nos Estados Unidos, que abriga vários blogs de dissidentes políticos chineses, registrou um potente ataque de "hackers" da China, que conseguiu fechar dois mil blogs, informou, nesta sexta-feira (28), a ONG de defesa da liberdade de imprensa Repórteres Sem Fronteiras (RSF).

"Estamos indignados com a atitude desses hackers, muito provavelmente instalados na China, que deixaram fora de serviço dois mil blogs", disse a RSF, num comunicado recebido hoje pela EFE.O editor do Boxun, Wei Shi, disse à RSF que o site nunca antes tinha enfrentado um ataque DDOS (sigla em inglês para ataque distribuído de negação de serviço).

Os atacantes bombardearam o servidor com um número imenso de pedidos de conexão."Nossa plataforma boxun.com/blog caiu dia 24 de dezembro. Não estamos ainda seguros de poder recuperar todos os dados perdidos e vamos ter de encontrar um novo servidor", acrescentou Wei.Em agosto, outro ataque ao Boxun suspendeu dez páginas de dissidentes políticos chineses que parecem ser, segundo a RSF, o autêntico alvo dos "hackers".

Alguns blogueiros foram detidos, condenados ou enviados a hospitais psiquiátricos na China por "subverter a autoridade do Estado". Eles haviam criticado em seus blogs os abusos cometidos pelo regime.

Segundo o relatório anual da RSF, a China é "a maior prisão do mundo para jornalistas", com cerca de 100 repórteres e intelectuais presos por terem publicado críticas ao regime.

OMS confirma transmissão de gripe aviária entre humanos

G1

Irmãos de homem que trabalhava no extermínio de aves infectadas pegaram doença dele.
Contágio de pessoa para pessoa é raro e aumenta preocupação com a epidemia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou ontem o primeiro caso, com morte, de transmissão da gripe aviária entre humanos no Paquistão.

Ela ocorreu em uma família afetada pelo vírus da doença, o H5N1.O homem que morreu, em 23 de novembro, ainda não foi identificado, nem sua idade foi divulgada. A agência das Nações Unidas anunciou apenas que ele era irmão de um veterinário que trabalhara havia dois meses no extermínio de frangos infectados, na região de Peshawar.

Ambos, além de outros dois irmãos, desenvolveram pneumonia severa e trataram uns aos outros até serem levados a um hospital. Os outros três se recuperaram. O irmão que morreu não teve contato com os animais doentes. Nenhum sintoma de infecção pelo H5N1 foi detectado entre pessoas que tiveram contato com os irmãos, mas funcionários do hospital e familiares estão sob observação médica.

Normalmente, a infecção acontece de animal para humano. Neste caso, a OMS divulgou que a “infecção humana” foi estabelecida por testes feitos em laboratórios especiais no Cairo e em Londres.

“Todas as evidências sugerem que a transmissão entre os membros dessa família não representa um risco maior”, disse um porta-voz da OMS. “Porém, isso já aumentou o nível de alerta e a necessidade de uma vigilância constante.” As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Blogs têm baixo custo e podem ter alto retorno

Terra

The New York Times
Tradução Paulo Migliacci ME

Para as pessoas que realmente acreditam no método, em pequenas empresas, trata-se de uma ferramenta de baixo custo e alto retorno que responde por funções de marketing e relações públicas, destaca o perfil da empresa e permite construir uma marca.

A ferramenta de que estamos falando são os blogs, ainda que as pequenas empresas que dispõem de blogs continuem a ser uma distinta minoria. Uma recente pesquisa da American Express constatou que apenas 5% das empresas com menos de 100 funcionários dispõem de blogs. Outros especialistas estimam proporção ligeiramente superior.

Mas embora os blogs possam ser úteis a muitas outras empresas, nem mesmo os especialistas em blogs recomendam a idéia à maioria das companhias.

Guy Kawasaki, empresário serial, sócio diretor da Garage Technology Ventures e blogueiro dos mais prolíficos, expressa a questão da seguinte maneira: "Se você fabrica roupas ou opera um restaurante, um blog não deve receber, em sua lista de prioridades, posição tão importante quanto a necessidade de produzir boas roupas ou servir boa comida".

Manter um blog requer muito tempo e certo talento como escritor, e nem todas as pequenas empresas dispõem desse tipo de recurso.

Mas algumas companhias estão em situação ideal para um blog. Os mais evidentes candidatos, de acordo com Aliza Sherman Risdahl, que escreveu um livro sobre os usos dos blogs, são as empresas de consultoria. "Elas são especialistas em seus campos, e o negócio delas envolve dizer aos outros o que fazer".

Para outras empresas, diz Risdahl, encontrar um motivo para manter um blog pode ser um desafio, a menos que o setor atendido requeira que os consumidores ou clientes passem por aprendizado complexo, como o comércio de vinhos, represente um estilo de vida associado a determinados produtos e serviços (animais de estimação, camping) ou sirva a uma missão social (lutar pelo meio ambiente ou angariar doações para caridade.)

Mas mesmo nesses nichos, diz Risdahl, as empresas precisam se concentrar em uma estratégia para seus blogs, e determinar se elas têm o suficiente a dizer. "Como consultor, um blog claramente pode ajudá-lo a ser contratado", disse. "Se você está vendendo um produto, é preciso ser muito mais criativo, porque ninguém gosta de ler anúncios".

Sarah Endline, presidente-executiva da sweetriot, uma produtora de chocolates orgânicos, disse que começou um blog alguns meses antes de fundar sua empresa, em 2005, para oferecer aos interessados uma visão de como o processo empresa funcionaria desde o marco zero.

Essa espécie de transparência é um motivo popular para um blog, especialmente no caso de empresas que desejem ser identificadas como socialmente responsáveis ou dedicadas a uma missão.

Um post típico no blog da sweetriot descreve a chegada do primeiro embarque de cacau da empresa, vindo da América do Sul, e de como Endline se encontrou com o caminhão, depois que ele passou pela alfândega no aeroporto internacional Kennedy, em Nova York.

Ela escreve sobre como inspecionou o embarque, e elogia o presidente da transportadora Gateway, que a ajudou a organizar as caixas de modo que pudesse examinar o produto. "Na sweetriot, não usamos a palavra 'fornecedor', porque acreditamos em trabalhar em parceria com todos os nossos contatos", ela afirmou.

Para empresas do setor de tecnologia, ter um blog é praticamente obrigatório. Ainda assim, Tony Stubblebine, fundador e presidente-executivo da CrowdVine, uma empresa que cria redes sociais para conferências, disse que um dos principais motivos para manter um blog é demonstrar que seu modelo de negócios difere do adotado pelas empresas iniciantes típicas.

"Todo mundo no Vale do Silício se concentra em financiamento por grupos de capital para empreendimentos e em desenvolver uma estratégia de saída", ele afirma. "Porque meu foco não é levantar dinheiro, posso me concentrar nos meus clientes, já que eles não servem simplesmente como plataforma para uma oferta pública inicial ou aquisição".

Ele acrescentou que "estou tentando criar uma comunidade de assistência a pequenas empresas de Internet, como a minha. Minha filosofia quanto a blogs é como o modelo de fonte aberta no setor de software. Uma espécie de conceito hippie. Se posso ajudar outras pessoas, me sinto pessoalmente recompensado. E essas pessoas provavelmente retribuirão de alguma maneira".

Stubblebine diz que ele conquista novos clientes basicamente por indicação de sua clientela atual, e usa o blog como forma de divulgar notícias para seus amigos e para pessoas influentes no setor, além de como maneira de apresentar credenciais aos seus clientes. "É por isso que falo do crescimento da empresa".

David Harlow, advogado e consultor especializado em serviços de saúde em Boston, diz que criou o HealthBlawg, o seu blog, como maneira de divulgar seu trabalho, depois que ele deixou o emprego em um grande escritório de advocacia e abriu um escritório próprio. Além disso, começar um blog era um processo fácil. E a tecnologia utilizada era bastante simples.

Agora, depois de quase dois anos de blog, Harlow se declara satisfeito com os resultados. O seu blog recebe 200 a 300 visitas por dia, diz, e também se tornou fonte regular de citações para publicações que querem dados sobre questões regulatórias no setor de saúde. Além disso, o blog também lhe valeu alguns clientes, e permitiu que ele estabelecesse relacionamentos com outros blogueiros no ramo do direito (que se definem como blawgers), além de contatos com consultores de todo o país.

Muitos dos blogs de pequenas empresas atingem seus objetivos mesmo que atraiam apenas algumas dezenas ou centenas de leitores. Mas há companhias com objetivos muito mais ambiciosos.

A Denali Flavors, uma empresa fabricante de sorvete em Michigan, licencia os sabores que desenvolve para outras sorveterias e serve como exemplo de pequena empresa dotada de verbas publicitárias limitadas. Por isso, decidiu usar uma série de blogs para criar conscientização de marca quanto ao Moose Tracks, seu sabor de sorvete mais popular.

John Nardini, que dirige o marketing da Denali e responde pelos blogs da empresa, disse que experimentou com diferentes tipos de blog, nos últimos anos, para determinar qual deles gerava maior tráfego. Um dos blogs acompanha uma equipe de ciclismo patrocinada pela Denali que estava levantando dinheiro para um orfanato na Letônia. Outro falava sobre o paradeiro do personagem Moose, que surgia em cenários famosos da geografia e história norte-americanas.

Mas o blog de maior sucesso em termos de tráfego, e por larga margem, foi o Free Money Finance, que nada tem a ver com o negócio da Denali. O plano de Nardini era criar um blog com tráfego suficiente para servir como veículo de mídia independente controlado pela Denali Flavors, tendo a empresa como única patrocinadora e anunciantes.

Ele optou pelas finanças pessoais porque sabia que essa é uma área que atrai muitas buscas na Web e porque não seria difícil postar repetidamente sobre o tema. E é exatamente isso que ele faz, cinco vezes por dia, durante a semana.

Nardini emprega ferramentas gratuitas como o Google Analytics e o Site Meter para compreender como as pessoas chegam ao site e que palavras chave estão atraindo buscas. O Free Money Finance recebe 4,5 mil visitas ao dia, e os visitantes em média observam duas páginas, o que quer dizer dois anúncios do sorvete Moose Tracks. O esforço custa cerca de US$ 400 ao ano, excluído o salário de Nardini.

O site também aceita anúncios, que geram entre US$ 30 mil e US$ 40 mil anuais, integralmente doados pela empresa para organizações de caridade. "Nós veiculamos anúncios porque isso legitima o site; o dinheiro não é o mais importante", disse Nardini. "Nossa esperança é que as pessoas vejam o logotipo do Moose Tracks em um algum lugar comercial e pensem, 'olha, é aquele sorvete que anuncia no site que visito todos os dias'.

Tecnologia quer se tornar mais ecológica

Terra

A preocupação com o meio ambiente está crescendo, mas esse interesse nem sempre produz sistemas que identifiquem os produtos fabricados sob critérios ecológicos, como o baixo consumo de energia ou a fácil reciclagem ao final de sua vida útil.

Os setores de bens eletrônicos de consumo e de informática são um exemplo do problema, e continua a ser difícil identificar de forma clara os produtos mais ecológicos. A sinalização é confusa e não existem etiquetas válidas para todo o setor e que ofereçam informação imparcial.

Os consumidores que procuram a pista ecológica no enorme catálogo de produtos de tecnologia, como televisores, aparelhos de MP3 ou celulares, encontram muitos números, que podem resultar em confusão. [+]

'Interação entre proteínas pode evitar que câncer se espalhe'

O Globo Online

Cientistas da Grã-Bretanha descobriram uma forma de evitar que o câncer se espalhe pelo corpo do paciente, um processo conhecido como metástase.

Em um artigo publicado na revista especializada Mollecular Cell, a equipe do Instituto de Pesquisa de Londres descreve como duas proteínas interagem naturalmente para evitar a formação dos tumores secundários.

Segundo os cientistas, o câncer de espalha graças a uma proteína chamada Mena. Já se sabia que esta proteína ajuda células cancerosas a se moverem para longe de um tumor e se espalharem pelo corpo para formar os tumores secundários.

Normalmente, uma segunda proteína, chamada Tes, evita que isto aconteça. O problema é que a primeira proteína existe em quantidades excessivas, muito maiores do que as quantidades de Tes.

O chefe da pesquisa, Michael Day, afirmou que a proteína Tes ainda não foi muito estudada, mas está ausente em muitos tumores.

Usando uma série de técnicas, como raios-X e cristalografia, nas quais podem ser observadas as estruturas de moléculas em 3-D, Day e seus colegas descobriram que a proteína Tes se liga à proteína Mena, o que impede que esta última se ligue a outras proteínas.

Sem conseguir interagir com suas proteínas parceiras, a Mena não consegue fazer com que células cancerígenas saiam do tumor.

Segundo Michael Day, se os cientistas puderem sintetizar um medicamento que atue como a proteína Tes, bloqueando a Mena, os médicos poderão paralisar o processo de metástase, em casos onde já exista o tumor.

"O surpreendente é que, analisando a Tes, não prevíamos que ela iria interagir com a proteína Mena. Vai levar muito tempo, mas, observando a estrutura, podemos ter pistas para sintetizar medicamentos que imitem a interação entre as proteínas e evite que células (cancerígenas) migrem (para fora do tumor)".

Segundo a organização britânica Cancer Research UK, da qual o Instituto de Pesquisa de Londres faz parte, 20 mil pessoas morreram devido a vários tipos de câncer em todo o mundo em 2007.

Busca por extraterrestres continua, dizem cientistas



Terra

La Vanguardia
Tradução Paulo Migliacci ME

Já faz 25 anos que o planeta foi tomado pela ET-mania. O feioso e terno extraterrestre do cinema alimentou a quimera de conhecer seres vindos de fora do planeta.

Nos últimos anos, porém, as pessoas falam menos em extraterrestres. No entanto, os cientistas afirmam que jamais abandonaram sua busca por vida em outros mundos. E não renunciaram à esperança de encontrá-la.

Até que ponto a visão sobre a vida extraterrestre mudou, nos últimos 25 anos? 'O que mudou é que houve um momento no qual a busca de vida, inteligente ou não, terminou confundida com as histórias de discos voadores, que engordaram os lucros dos estúdios. Isso causou retração a muitos pesquisadores.

Mas, especialmente nos últimos anos, a astrobiologia recuperou as forças, analisando a origem da vida no universo e os lugares em que ela pode existir ou ter existido. Mais tarde verificaremos se essa vida é ou não inteligente. Não acredito que vá demorar muitos anos para que indícios de vida sejam localizados', afirma Jordi Isern, diretor do Instituto de Estudos Espaciais da Catalunha.

"O que mais mudou é que, há 25 anos, não existia a tecnologia hoje disponível para buscar vida fora do Sistema Solar ou detectar planetas em outros sistemas, ou metano e oxigênio, sinais de vida, nesses planetas", opina Luis Costa, diretor científico dos telescópios robotizados do Centro de Astrobiologia de Madri. "Agora conhecemos melhor os padrões da vida terrestre e por isso estamos mais capacitados a buscar indicações de vida em outros mundos".

Costa admite que cada resposta encontrada suscita novas questões: será que a vida à maneira da Terra é a única possível? Haverá vida na zona de habilitabilidade das estrelas (um raio específico que determine a presença de condições que permitam a vida)? "Na Terra mesma", ele diz, "somos surpreendidos a cada dia por organismos que vivem em condições extremas (extremófilos) - em fossas abissais, em águas ácidas... Quando descobrimos planetas fora do Sistema Solar, vemos que os modelos de nosso sistema não se aplicam. Por exemplo, existem planetas de grandes dimensões em órbita muito próxima de uma estrela central".

"Hoje, continuamos sem prova de que exista vida fora da Terra, mas existem planetas e satélites que merecem exploração em nosso sistema, pois se acredita que possam abrigar ou ter abrigado vida, já que eles continham água - como Marte, no passado. Poderemos ir mais longe e explorar planetas fora do sistema, à medida que a tecnologia avance", disse Agustín Sánchez Lavega, professor de ciências planetárias da Universidade do País Basco. "O primeiro objetivo é encontrar em outro sistema solar um planeta com condições semelhantes às da Terra, por exemplo em termos de distância da estrela central. Creio que isso será realizado dentro de alguns anos", afirma Cuesta.

Dada a imensidão do universo, não seria estranho que exista vida, inteligente ou não, apenas na Terra? Diante da pergunta, Isern reconhece a lógica da questão, mas recorda o chamado paradoxo de Fermi (um dos país da Física moderna); "Se houvesse vida inteligente em outros lugares, se ela fosse um fenômeno generalizado, por que eles não teriam nos visitado?" "Encontraremos alguma coisa, um dia", ele afirma. "Existem cálculos de probabilidade que apontam 2020 como data para que as condições necessárias se tenham desenvolvido.

Há tantas galáxias, bilhões de estrelas e planetas. Decerto parece estranho que só exista vida na Terra, mas também seria possível perguntar por que deveria existir vida em outros planetas, se levarmos em conta que seu desenvolvimento requer diversas condições complexas", diz Sánchez Lavega. "Os três elementos básicos da vida são o carbono (para formar moléculas complexas); a água em forma líquida (o melhor solvente dessas moléculas) e alguma forma de energia. E, mesmo que os ingredientes existam, há a possibilidade de que vida não se desenvolva. Não conseguimos até agora criá-la em laboratório".

Os cientistas procuram vida de acordo com os parâmetros terrestres. Sánchez Lavega sustenta que não poderiam existir outras formas de vida, já que os 118 elementos químicos conhecidos por aqui também são aqueles que começamos a identificar fora da Terra. "Não foram encontrados outros elementos, e por isso a vida em outros lugares deveria se basear em parâmetros semelhantes aos terrestres", disse. Ele considera impensável a possibilidade de que o silício faça o papel do carbono para o desenvolvimento da vida, por exemplo.

Outra coisa, aponta, seriam as condições de desenvolvimento dessa vida ou o momento de evolução no universo. Os cientistas recordam que a Terra existe já há milhões de anos, e que nem sempre existiu vida no planeta, ou essa vida se limitou, por milhões de anos, a organismos monocelulares.

Talvez outros planetas estejam em fase inicial de desenvolvimento, como a que a Terra um dia viveu. Ou tenham atingido fases de desenvolvimento avançadas em milhões de anos com relação à nossa, sobre as quais tudo ignoramos.

Rara bactéria carnívora mata homem em Hong Kong

Terra - Saúde

AFP

As autoridades dos serviços de saúde de Hong Kong informaram nesta sexta-feira que estão investigando a morte de um homem de 55 anos vitimado por uma rara forma de bactéria carnívora.

O homem procurou um médico por causa de dores no pescoço e problemas respiratórios. Ele também sentia dores em sua nádega direita e acabou sendo internado no dia de Natal para sofrer uma cirurgia e ter o tecido infectado removido.

Depois foi transferido para outro hospital, onde acabou morrendo na quinta-feira. Os exames mostraram que o ferimento da nádega da vítima estava infectado pela bactéria streptococcus pyogenes, que causa necrose nos tecidos, informou o Centro para a Proteção da Saúde.

Um porta-voz da instituição explicou que a bactéria pode destruir o tecido e causar a morte dentro de 12 a 24 horas depois da infecção.

A doença geralmente é causada quando a bactéria entra por um ferimento, por menor que seja, mas pode ser tratada com antibióticos e removida se prontamente diagnosticada.

Estudo: só 10% cumprem promessas de fim de ano



Terra

Um psicólogo britânico realizou uma pesquisa sobre as promessas de final de ano e sugere que apenas 10% das pessoas conseguem cumprir com as resoluções definidas no fim do ano.

Richard Wiseman, que liderou o estudo, analisou 3 mil pessoas que tentavam cumprir com várias promessas, como parar de fumar, emagrecer, fazer mais exercícios ou beber menos.

No início da pesquisa, 52% dos participantes afirmaram que estavam confiantes de que conseguiriam cumprir com as metas. No entanto, no final do estudo e depois de um ano de tentativas, apenas 12% conseguiu manter as promessas e alcançar os objetivos que haviam definido.

Entre os voluntários, o estudo observou que a promessa mais difícil de ser cumprida foi parar de fumar apenas 24% dos voluntários conseguiram deixar de fumar durante a pesquisa.

A promessa mais cumprida, entre os participantes, foi a de 'aproveitar mais a vida' objetivo alcançado por 32% dos voluntários. O estudo foi realizado na Universidade de Hertfordshire, na Inglaterra. [+]

BUSH APROVA VERBA DE US$ 500 BILHÕES PARA GUERRA NO IRAQUE



Ansalatina

O presidente norte-americano, George W. Bush, assinou hoje uma lei do Congresso aprovando US$ 555 bilhões para cobrir, em 2008, os gastos da guerra no Iraque, e financiar atividades de distintas agências do governo dos Estados Unidos até setembro.

O anúncio foi feito pelo porta-voz da Casa Branca, Scott Stanzel, falando com a imprensa a bordo do avião presidencial, durante a viagem de Bush da residência de Camp David, em Maryland, ao rancho texano de Crawford, onde passará o fim do ano. (ANSA)

Projeto Tamar recupera três espécies de tartarugas marinhas ameaçadas de extinção no litoral brasileiro

CBN - A rádio que toca notícia

Assassinato de Benazir Buttho ressalta fracasso de Bush



G1

Influência norte-americana em assuntos internos do Paquistão vem decaindo.
País do Oriente Médio é considerado marco zero na luta de Bush contra o terrorismo.

O assassinato de Benazir Bhutto na quinta-feira (27) deixou em ruínas o frágil esforço diplomático empregado pelo governo Bush neste ano com o objetivo de conciliar as facções políticas profundamente divergentes no Paquistão. Agora, com dificuldade, tentam analisar as opções que restam, ainda mais limitadas, à medida que a influência norte-americana nos assuntos internos do Paquistão continua decaindo.

Na quinta-feira (27), representantes da embaixada dos Estados Unidos em Islamabad recorreram aos membros do partido político do ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif, de acordo com um oficial da administração do alto escalão. O próprio fato de os representantes chegarem a dialogar com simpatizantes de Sharif, que, segundo eles, tem vínculos demais com islâmicos, é indicativo do quanto será difícil encontrar um parceiro em quem os Estados Unidos confiem plenamente.

O assassinato ressaltou, de forma impressionante, o fracasso de dois dos principais objetivos do presidente Bush na região: a busca por levar a democracia ao mundo muçulmano e seu esforço para expulsar militantes islâmicos que se firmaram obstinadamente no Paquistão, país com poderio nuclear considerado marco zero na luta de Bush contra o terrorismo, apesar dos extensos esforços da administração para erradicar a al-Qaeda da fronteira Paquistão Afeganistão. [+]